Prefeitura de Viçosa cria Comitê de Monitoramento da Febre Amarela


Diante da epidemia de febre amarela que vem atingindo o Estado de Minas Gerais, o Prefeito de Viçosa, Ângelo Chequer, instituiu, através da portaria n° 209/2017, um Comitê de Monitoramento da Febre Amarela.

Apesar da ausência de registros da doença na Zona da Mata mineira, o Prefeito considerou a necessidade de concentração das discussões e tomadas de providências pelos órgãos municipais responsáveis pela gestão do Sistema Único de Saúde, limpeza pública e gestão da Administração Direta da cidade de Viçosa no controle dos vetores da doença e imunização da população. “O objetivo é articular uma resposta eficaz do Município na eventualidade do surgimento de algum caso, além de centralizar e divulgar as notícias e decisões que envolvam a doença no intuito de evitar boatos e desinformação”, destacou.

Compõem o Comitê José de Arimathea Silveira Marques, Chefe do Departamento de Vigilância em Saúde; Luciano Piovesan Leme, Superintendente de Gestão Pública e Governança; Ronilson da Silva Vieira, Coordenador do Setor de Vigilância Epidemiológica; Rodrigo Cardoso de Souza, Chefe do Departamento de Defesa Civil e Martinho de Almeida Silva Júnior, Diretor de Limpeza Pública e Conservação Urbana.

O período de volta às aulas preocupa os membros do Comitê. A questão foi discutida durante a primeira reunião do grupo, na última sexta-feira (27). Na ocasião, o presidente do Comitê, José de Arimathea, destacou que “Viçosa é uma cidade atípica devido à sua população flutuante. São cerca de 20 mil estudantes universitários que chegam de volta à cidade em meados de março após as férias. É previsto a chegada de pessoas provenientes de regiões endêmicas e temos que estar preparados”.

A discussão levou em conta também as instruções do Ministério da Saúde, que alerta que não há a necessidade de imunização em massa da população em regiões onde não há registro da doença. A vacina pode gerar, ainda, reações adversas, que prejudicam especialmente idosos, gestantes e mulheres em fase de amamentação.

Foi também discutida a possibilidade de parceria com a Universidade Federal de Viçosa (UFV), que recebe a maior parte desses estudantes, e outras instituições de ensino superior na solicitação de imunização dos alunos antes da matrícula ou do início do novo semestre.